Quando decidi escrever "Segredos dos Casinos"?

Tudo começou quando trabalhava no Casino Solverde e apercebi-me de como as pessoas apostavam cegamente em jogos que lhe eram completamente desconhecidos. Estas pessoas deitavam centenas e milhares de Euros (na altura escudos) sobre as mesas de jogo e nas máquinas. Certamente que alguns sabiam o que estavam a fazer, sendo sem dúvida jogadores profissionais que conheciam todos os truques. Porém, apercebi-me que a maioria não tinha ideia do que se estavam a meter.

Então pensei, "chega." As pessoas devem saber em que é que apostam e quais as suas probabilidades de ganhos. Tal como digo no livro, somos de tal forma iludidos pelo glamour, pelas luzes, pelos ganhos, pelas meninas dos espectáculos, pela comida e por tudo mais, que nos esquecemos do dinheiro que deitamos fora. Sim, que deitamos fora. Porque não oferece-lo à caridade? E não a multimilionarios assumidos… Ok, gera emprego, estimula a economia local mas cada pessoa deveria saber que as probabilidades estão sempre contra independentemente do que vier.

Este principio aplicado aos casinos levou me à concluir o mesmo sobre o Totoloto e Euromilhoes. É o mesmo princípio mas aqui as pessoas estão um pouco mais conscientes de que as oportunidades de vitória são quase nulas. Pelo contrário, nos casinos acreditamos que vamos ganhar. Portanto, elaborei um capÍtulo sobre as probabilidades no totoloto, com algumas luzes sobre o que evitar e algumas formas de como aumentar probabilidades, tal como a associação a um sindicato.

Por fim, uma das últimas razões pelas quais decidi escrever este livro é porque neste momento existe um grande frenesim na comunidade de jogo online. É um enorme negócio que cresce de dia para dia. Por este motivo, há cada vez mais jogadores amadores a apostar online, sendo preciso mais acompanhamento a este nível do que a nível de um casino tradicional. Onde jogar, como lá chegar, como alcançar bónus e mais são algumas das ideias que apresento.

Tal como qualquer trabalho o livro tem algumas falhas. Limitei o livro a 180 páginas de forma a evitar torná-lo demasiado extenso, aborrecido e dispendioso, quer para o leitor quer para mim. O leitor poderá ansiar por uma Parte II do livro, em breve, onde poderá encontrar mais informação em áreas não abordadas.

Aguardo os vossos comentários ao livro, via email se assim o desejarem.