Este blog aborda a grande importância dada pelos “media” a um estudo encomendado/elaborado pela Santa Casa de Misericórdia.

Das conclusões publicadas no Jornal de Noticias de 20 de Outubro de 2009 "Dependentes do jogo cada vez mais cedo", retira-se que os jovens estão a tornar-se cada vez mais viciados no jogo.

O mais ultrajante acerca deste estudo é indicar que o Euromilhões é o menos perigoso. É de facto uma coincidência a empresa que encomenda o estudo ter os melhores resultados.

Se calhar, as questões foram colocadas de forma a induzir determinados resultados, o que parece ser de facto o caso. Lembro-me de o meu filho, com cerca de 8 ou 9 anos de idade, já querer apostar no totoloto e no totobola. Lembro-me também de aos 11 anos estar na Internet e querer apostar no site da Santa Casa. Isto porque este é de facto o sítio mais fácil para a iniciação ao jogo. Não é irónico amigos….

Gosto realmente da parte onde se conclui que os jogos mais viciantes são "jogos clandestinos de cartas, jogo online e slots".

Deixem-me começar pelos jogos clandestinos de cartas. É muito melhor apostar em jogos de cartas “caseiros” ou com os amigos do que em casinos. Deixem-me explicar. Com os amigos, as apostas são normalmente muito menores. As pessoas divertem-se e podem porventura ganhar um dinheiro extra, ou seja são apenas jogadores contra jogadores. O anfitrião poderá cobrar uma cerveja mas não mais que isso. Não existe também a pressão para apostas altas tal como num casino. O que realmente me enfurece é quando leio que a GNR invadiu a casa de alguém que meramente jogava cartas com os amigos. Isto soa-me a Nazismo ou ASAE. Isto é o governo dizer o que pode e o que não pode fazer na sua própria casa.

Porém, os casinos clandestinos são um cenário diferente. Apresentam maiores riscos para os jogadores e as apostas poderão ser mais elevadas e incitar à violência. A segurança é clandestina. Em termos de vício, em relação ao referido no artigo, não vejo correlação entre vício e jogos de cartas clandestinos. É uma piada.

No que toca às Slot Machines, poderão ter lugar algumas formas de vício. O vício do jogo é um facto mas não devido às Slot Machines. Acontece porque as pessoas querem recuperar o que a máquina lhes “roubou”. É um ciclo vicioso porque pensam que mais cedo ou mais tarde irão reaver o dinheiro. Nos jogos de cartas, essa “tecla mental” não costuma funcionar.

Agora, no que diz respeito aos Jogos da Santa Casa. Uma pessoa com bom senso sabe que as suas probabilidades de ganhar são praticamente nulas. Portanto, quanto mais jogar mais terá consciência que não irá ganhar o jackpot. Mais, dessa forma as apostas começam a esmorecer. Desta forma, o vício é reduzido.

Então por fim o artigo menciona um Administrador da Casa que afirma que o governo deveria seguir o exemplo da Alemanha e EUA no respeitante aos jogos online. É tão óbvio que o afirmo no livro e aqui. A Santa Casa está extremamente preocupada com os milhões que ganha nas lotarias todos os anos. Faz sentido para eles que o governo proteja o seu santuário.

Bem, deixem me informar-vos e ao administrador da Santa Casa que muitos países não europeus já permitem o jogo online, especialmente o Reino Unido. A França, como pode constatar na secção Notícias deste site, está pronta a abrir as suas portas no próximo ano. Em relação à Alemanha, esta encontra-se mais cautelosa mas atenta ao fenómeno. Os Estados Unidos, através do Presidente Obama estão prontos a abrir as suas portas ao jogo online. Nos EUA o projecto-lei para a legalização do jogo online em 2006 perdeu por um voto, ou seja perdeu por muito pouco. Portanto na minha opinião deveria ter sido aprovado, faltando muito pouco para se tornar legal. Mais, se Obama é a favor de cobrar impostos ao jogo online, como dizem que é, porque permitiria pagar parte do novo plano de saúde, então tornar-se-á legal na próxima votação. Bem, o passo está ali ao virar da esquina. Todos os estados tal como a Califórnia estão à espera da sua parte nos 50 biliões de dólares em impostos que se crêem gerar através da legalização do jogo.

A onda da legalização está de vento em popa. Nada pode impedir a Internet. Existe controlo sim mas nada a pode parar. É o futuro do jogo, da próxima geração.

Os mega casinos em Portugal e Vegas vão esvanecer-se mas existirão sempre porque as pessoas gostam das atracções, da interacção social, de sair… sim, continuarão sem dúvida mas o jogo online irá assumir provavelmente 50% do cenário de jogo num prazo de 10 anos. É muito dinheiro a ser gerado por pequenos operadores. Preparem-se para um mercado livre. Os monopólios actuais dos operadores dos Casinos Tradicionais e a Santa Casa, tal como qualquer outro monopólio do passado, irão ruir mais cedo ou mais tarde, o que é vantajoso para o consumidor e para o pequeno investidor. Tudo isto é provado pela liberdade “internetica” que usufruimos.